image2

Diferenças entre SPC e SCPC: entenda esses serviços

Diferenças entre SPC e SCPC: entenda esses serviços

Apesar das diferenças, ambas as instituições têm a mesma finalidade.

Muitos consumidores e até mesmos lojistas brasileiros não sabem a diferença entre os serviços de proteção ao crédito no Brasil. Para muita gente, Serasa, SPC, SCPC é tudo a mesma coisa. Porém existem diferenças cruciais entre os serviços.

É importante saber que todos eles estão ligados ao monitoramento de dados e de condições de crédito dos brasileiros, concentrando todos os nomes de consumidores negativados do país. Por isso, tanto SPC quanto SCPC são responsáveis pelo registro de informações pessoais dos usuários que têm débitos no mercado.

Apesar das diferenças, ambas as instituições têm a mesma finalidade, ou seja, servem para informar aos bancos, às financeiras e às lojas todas as informações necessárias para garantir que as vendas feitas a prazo como financiamentos e empréstimos, e até compras parceladas no cartão, sejam realizadas de maneira segura.

De maneira simples, quando um consumidor deixa de pagar uma dívida, essa informação pode ir para um destes bancos de dados. A partir daí, ele se torna um cliente inadimplente para o mercado e esta informação é repassada para os serviços de instituições comerciais e bancárias, notificando que o cliente está com o “nome sujo” na praça.

Nestes casos, por exemplo, é possível não conseguir pegar empréstimos ou realizar financiamentos, já que estes são serviços que dependem de uma análise de crédito e geralmente apresentam fortes restrições contra clientes com nome negativado.

 

O que é SPC?

 

O SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) é de responsabilidade da SPC Brasil, e serve para armazenar dados sobre todos os consumidores brasileiros, estejam eles com ou sem dívidas. O serviço foi o primeiro a ser formulado, ainda em 1955, com finalidade de garantir a proteção de crédito no país.

O objetivo do serviço é juntar todas as informações de um consumidor junto ao comércio. Numa consulta ao SPC, é possível saber se o cliente tem dívida com alguma loja, por exemplo. Com isso, ajuda-se as empresas a definir se irão ou não conceder créditos aos usuários.

Pessoas físicas, ou seja, consumidores comuns também podem consultar o SPC para saber se há débitos em seu nome e quais são as empresas que estão devendo no mercado. O banco de dados tem acesso a cerca de 180 milhões de CPF (Cadastro de Pessoa Física) de brasileiros, deste cerca de 57 milhões estão com o nome negativado.

 

O que é SCPC?

 

O SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) realiza um serviço semelhante ao SPC e surgiu em 2010, como um segmento do Serviço de Proteção ao Crédito, administrado pela Boa Vista Serviços.

O novo banco de dados foi criado porque muitas instituições financeiras não estavam satisfeitas com o antigo serviço, daí surgiu a divisão e os dados passaram a ser concentrados num único lugar.

Apesar de ter um nome e uma sigla bastante parecida ao SPC, o SCPC ainda não conseguiu ganhar tanta popularidade. Isso se deve ao fato de o SPC já existir há mais de 60 anos e contar com um número de dados bem maior dos consumidores brasileiros.

O SCPC oferece alguns serviços que o SPC não dispõe para seus clientes, são eles:

  • consulta de cheques;
  • cadastro positivo;
  • consulta de veículo etc.

Além disso, o serviço também disponibiliza análise de crédito, gestão de carteira, cobrança, certificação digital, assim como o SPC também oferece.

 

Qual a origem desses conceitos?

A ideia dos serviços é diminuir o nível de inadimplência no mercado brasileiro.

Essas instituições surgiram por meio da influência de empresários. Em 1955, o SPC foi instaurado com a ajuda da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) com a responsabilidade de concentrar todos os dados do comércio lojista do estado. Daí surgiu a primeira organização de proteção ao crédito do Brasil.

Até meados da década de 1970, a obtenção de crédito no mercado era mais difícil e demorada. Isso por que os cadastros eram todos em fichas de papel, ou seja, arquivos físicos, o que fazia com que as consultas demorassem até três dias para serem feitas.

Com os avanços tecnológicos, as consultas aos órgãos de proteção ao crédito ficaram mais rápidas, mesmo com uma grande concentração de dados sobre consumidores de todos os estados brasileiros.  

A ideia dos serviços é diminuir o nível de inadimplência no mercado brasileiro. Como a grande maioria dos consumidores possui e contrai novas dívidas com frequência no país, o SPC e o SCPC servem para regularizar e controlar as ações dos usuários.

As dívidas passam a valer assim que são escritas nos programas quando as empresas não registram pagamento. As cobranças são ligadas ao CNPJ ou CPF, o que acaba ficando à mostra numa simples análise de crédito.

A informatização dos serviços também facilitou o pagamento dos débitos, assim também como agilizou o cadastro de usuários na lista de dados nacional dos clientes negativados. Geralmente, no caso de pagamento da dívida, as empresas comunicam aos serviços assim que o cliente quita os valores debitados.

Ao sair da base de dados de clientes negativados, os clientes voltam a encontrar mais facilidades para conseguir créditos no mercado, seja em empresas públicas ou privadas.

 

Como saber qual base de dados utilizar?

 

Mesmo com a centralização das informações, é possível que os dados se encontrem num banco de dados e não no outro. Porém pelo fato de cada serviço ser administrado por uma empresa diferente, isso se torna possível.

Apesar disso, as três instituições (SPC, SCPC e Serasa) têm realizado um intercâmbio de informações cada vez mais ativo e atualizado. Para saber em qual banco de dados pesquisar é preciso buscar mais informações com a Associação Comercial de sua cidade, já que algumas cidades ou regiões acabam tendo um dos serviços como sua fonte principal de dados.

As pessoas cadastradas nos bancos de dados do SPC ou SCPC podem ficar com o “nome sujo” por até cinco anos, após esse período as empresas têm de retirar a informação dos cadastros.

Entre as principais diferenças quanto às instituições está o fato de o SPC receber mais informações sobre dívidas comerciais dos consumidores, focando em débitos com lojas, cartões de crédito etc. Já o SCPC, assim como Serasa é mais ampliado e costuma também receber de imediato informações sobre dívidas com instituições financeiras como bancos públicos e privados.

Esse artigo foi útil? Esperamos que tenha lhe ajudado a elucidar algumas questões. Continue acompanhando nossas publicações. Deixe seu comentário sempre que quiser e compartilhe nossas publicações em suas redes sociais.

Tags: No tags

Add a Comment

You must be logged in to post a comment